O Parque Estadual da Pedra Branca é considerado a maior reserva florestal em área urbana no mundo. Compreende um total de 12.500 hectares, onde se destaca o Pico da Pedra Branca, ponto culminante da Cidade com 1024 metros de altitude. SITE NÃO OFICIAL.
"Quero poder deixar esse mundo melhor do que encontrei..."



domingo, 4 de dezembro de 2011

Vistoria Praias do Meio, Perigoso e Búzios

Há algumas semanas atrás recebi uma ligação do jornalista Flavio Somogyi da Neon Rio Produtora (http://www.neonrio.com.br/), através do blog Amigos do Parque, com a intenção de conhecer alguns locais ainda desconhecidos do Rio de Janeiro e apresentá-los em uma série de documentários produzidos pela emissora franco-alemã ARTE intitulada "NATURÓPOLIS", que será apresentado pelo naturalista e biólogo francês Frédéric Durand.

Abaixo transcrevo um trecho do e-mail que recebi do Flávio:

"A série será realizada em quatro grandes cidades do mundo: Nova York, Paris, Toquio e o Rio de Janeiro.O conteúdo principal é demonstrar que na época contemporânea, globalizada, vivemos em um mundo humano cada vez mais urbano, com grande concentração de populações em gigantescas metrópoles que compartilham o mesmo desafio, ou seja, equilibrar sustentabilidade com o crescimento exponencial destes centros urbanos. 

O Rio de Janeiro foi escolhida para sediar grandes eventos, como os Jogos Olimpicos, a Copa do Mundo de Futebol, mas também conferências internacionais como a Rio + 20 e a C 40; Portanto é uma grande cidade com a obrigação de administrar investimentos que irão transformar consideravelmente sua estrutura urbana; incluindo projetos sustentáveis nas áreas de saneamento, tratamento do lixo, transportes não poluentes, rápidos e confortáveis, reflorestamento, energia limpa e conservação de áreas verdes; incluindo sua flora e fauna. 

Mas o que mais chama atenção sobre o Rio de Janeiro, é a combinação extraordinária entre o grande centro urbano em expansão e a herança colonial e imperial da floresta tropical; O Rio de Janeiro possui as duas maiores florestas urbanas do mundo, a Floresta da Tijuca e o Parque Estadual da Pedra Branca; além de mangues, praias, rios e lagoas, habitat de várias espécies endêmicas, mas também de espécies introduzidas.

E atualmente ainda assistimos o aparecimento de espécies em mutação, devido ao novo contexto de ocupação na Terra, ou seja, a predominância, expansão e a concetração de grandes áreas humanas e urbanas em detrimento de áreas naturais; estamos vivendo um novo momento. Não se trata mais de discutir somente a biodiversidade; mas também a BioDiverCidade..  
         
Frédéric Durand irá conhecer profundamente o Rio de Janeiro, encontrar com biólogos, naturalistas, estudiosos; Mergulhar nas lagoas, se perder nas vielas estreitras de comunidades populares, ou nas ruas largas da cidade; e trilhas das florestas, conviver com borboletas, micos e macacos, cobras, jacarés, capivaras; visitar o Museu de História Natural, jogar a rede em alto mar com pescadores de Copacabana; estudar as espécies que poderão ser encontradas na Floresta da Tijuca, ou no Mirante do Leme. Mas também conhecer os grandes projetos da Prefeitura do Rio voltados para o futuro de uma "cidade verde"; ou seja, os grandes desafios, como por exemplo, contenção do crescimento de comunidades populares em detrimento das florestas, como conter a expansão em habitats naturais de jacarés e capivaras; o que fazer com o problema social; como utilizar novas fontes de energia renováveis nas comunidades mais carentes, e como alimentar saudavelmente milhões de pessoas morando em centros urbanos;"

Achei a idéia do documentário interessante e acredito ser uma boa oportunidade de divulgarmos o Parque internacionalmente, é quem sabe com essa divulgação conseguir mais ajuda.
Entrei em contato com o amigo Jerê, para explicar a idéia pois o Diretor do programa Bernard estava no Rio e precisava conhecer as locações primeiramente. Para o Jerê não tem tempo ruim mesmo. Apesar do compromisso que ele tinha pela manhã, nos encontramos na Barra da Tijuca quase meio-dia e partimos para Barra de Guaratiba, rumo a caminhada. Aproveitamos para fazer uma vistoria nas praias do Meio, do Perigoso e de Búzios. Saímos de lá já eram mais de 19h.


1 - início da caminhada
2 - parada para apreciar o verde
3 - Eu e Jerê
4 - encontramos lixo no inicio da trilha
5 - visual da Restinga
6 - Natureza

A praia do Meio estava bem limpa, porém, a do Perigoso estava com muito lixo. Acho que precisamos agendar um mutirão por lá.

7 - Visual da Restinga da Marambaia deslumbrante
8 - Começamos a avistar a Praia do Meio
9 - chegada a Praia do Meio
10 - Sophia observa a praia
11 - Linda flor! Natureza sempre surpreendendo...

12 - Praia do Meio
13 - Praia de Grumari vista por outro ângulo
14 - Momentos da caminhada

15 - Praia do Perigoso
16 - Praia dos Búzios
17 - Tartaruga marinha que infelizmente encontramos morta
18 - Linda flor
19 - Lixo encontrado na Praia do Perigoso
20 - Pedra da Tartaruga (e parece mesmo)
21 - Praia dos Búzios ao fundo

Os amigos Flavio, Jerê, Eu e os franceses Sophia e Bernard
E para fechar...um espetáculo da natureza!
Abaixo coloco o link para o álbum completo que postei no Picasa:


Agradeço principalmente ao Jerê pela colaboração e companhia. Valeu amigo!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Matéria Sobre Mulheres e Montanhas - extremos

"Sobre Mulheres e Montanhas"


fala da presença feminina, cada vez maior, nos diversos setores de escalada.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Mutirão Praia do Meio - 13/11



O 13º Mutirão das Praias Selvagens acontecerá no próximo domingo, dia 13 de novembro, na Praia do Meio.

O Ponto de Encontro será no estacionamento externo do Prezunic Recreio - Av. das Américas, 16.100 e 16.300, às 8:40 (ver mapa na guia lateral direita deste blog).



Para chegar à praia é preciso percorrer uma trilha de nível moderado, com duração de aproximadamente 1 hora e meia, com paradas para descanso (este tempo pode variar de acordo com a quantidade de pessoas e desenvolvimento do grupo).

A programação se estende ao longo de todo o dia, pois além da limpeza, o grupo terá um tempo destinado a curtir a praia em caminhadas guiadas pelos arredores e banhos de mar.
O horário previsto para iniciarmos a trilha de volta até onde os carros estarão estacionados é as 16:00 (podendo sofrer alguma variação).


OBS.: A chegada ao ponto de encontro no horário marcado é importante para que o grupo possa fazer a trilha até a praia num ritmo agradável a todos, para o bom rendimento da atividade e também para que, além do trabalho, possamos curtir o local.
Ainda assim é preciso ter em mente que o horário para término da atividade depende do desenvolvimento do grupo e de fatores como o transito (que costuma ser intenso para aquela região, nesta época do ano) e, portanto, está sujeito a variações.

Aqueles que desejarem se juntar a nós, neste mutirão, devem:



Confirmar presença através de comentário nesta matéria, ou e-mail sos.trilhas@gmail.com, ou na comunidade Trilhas Quase Secretas. (As confirmações nos ajudam a organizar questões de ordem prática, como a divisão de caronas solidárias);

Trajar roupas leves (bermudas ou calças que permitam liberdade de movimento, camiseta, etc...) e tênis/bota confortável (preferencialmente com solado anti-derrapante);



Levar ao menos 2 litros de água, suco ou isotônico (por pessoa);



Levar lanche (barras de cereal, biscoitos, frutas, sanduíches...);


Levar roupa de banho, toalha e/ou canga, roupa reserva, boné, óculos de sol, repelente e protetor solar.


Lembrem-se de que já têm feito dias bem quentes e de que realizaremos uma atividade que demanda esforço físico, por isto o cuidado com alguns dos itens acima, como água, lanche e proteção para o sol são de grande importância!



Antes do início da atividade distribuiremos luvas que são recolhidas ao final do dia, para que sejam higienizadas e reutilizadas em outro mutirão, mas aqueles que já tiverem suas próprias luvas, e preferirem, podem levá-las.






Este evento conta com o apoio de:





Destemidos - divulgação e participação no mutirão





Rio Eco Consciente - divulgação





Programa de Voluntariado do PNT – divulgação



Grupo TerraLimpa - divulgação e doação das placas educativas





Blog Natureza Brasielira - divulgação





Amigos do Parque Estadual da Pedra Branca - divulgação


Rede de Mobilização Social - divulgação

domingo, 30 de outubro de 2011

Mutirao Trilha do Quilombo sera adiado devido forte chuva esta madrugada. Informaremos nova programacao em breve.

Amigos, desculpem aos que se programaram, mas acho que conseguimos avisar a todos, mesmo de madrugada. Resolvemos cancelar devido a forte chuva que caiu. E agora está o maior sol...vai entender....
Esta semana ainda informarei a nova data. A equipe do parque ficou de me informar ainda esta semana.
O próximo faremos mesmo com chuva...
Agora temos mais tempo para mais voluntários confirmarem....
Abs
Carla

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Mutirão Trilha do Quilombo - Confirmado!


Prezados amigos,
Confirmamos o mutirão junto à administração do parque para o próximo domingo dia 30 de outubro. O ponto de encontro será na sede do Parque, localizada no Pau da Fome, às 08h30m, com previsão de término às 16h30m.
Como Chegar: Pelo largo da Taquara, entrar na Estrada do Rio Grande e seguir até o Largo da Capela, onde termina a Rio Grande. Entrar na Estrada do Pau da Fome e seguir em frente uns dez minutos até a entrada da sede. Estrada do Pau da Fome nº 4003.
Dentre as atividades principais propostas, podemos citar: recolhimento de mudas nos arredores da sede do parque e acondicionamento para futuro replantio; fechamento de atalhos no decorrer da trilha do Quilombo (para isso precisaremos de arame liso ou barbante – quem puder levar e colaborar, ótimo!); fixar nos pontos de maior erosão próximo a Pedra do Quilombo, algumas toras de eucalipto e pequenos pedaços de madeira.
Dependendo da quantidade de voluntários e de acordo com o perfil de cada um, teremos que dividir o grupo uniformemente nestas três atividades. Teremos tarefas para todos.
Precisaremos de ferramentas. Quem tiver e puder levar será de grande ajuda.
Aqueles que desejarem se juntar a nós, neste mutirão, deverão:

Confirmar presença através de comentário nesta matéria, ou e-mail carla@parquepedrabranca.com, ou através das comunidades do orkut Trilhas Quase Secretas, SOS Trilhas, Destemidos ou Parque da Pedra Branca - RJ.
Trajar roupas leves (bermudas ou calças que permitam liberdade de movimento, camiseta, etc...) e tênis/bota confortável (preferencialmente com solado anti-derrapante);

Levar ao menos 2 litros de água, suco ou isotônico;

Levar lanche (barras de cereal, biscoitos, frutas...).
Levar toalha e/ou canga, roupa reserva, boné, óculos de sol, repelente e protetor solar.
Levar um documento de identidade com foto e deverão ser maiores de 18 anos.
Esperamos por vocês!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Relato Evento Dia da Árvore ocorrido dia 24Set

O dia estava chuvoso, mas mesmo assim compareceram um número expressivo de participantes. O blog Amigos do Parque fica feliz em saber que existem muitas pessoas preocupadas com o que está acontecendo no Parque. Muitos questionamentos importantes foram feitos sobre proteção e preservação deste ecossistema que é nosso e merece nosso respeito e carinho.
Através das minhas anotações, consegui  transcrever alguns trechos destas palestras.
Alexandre Pedroso, atual administrador do Parque iniciou o evento falando sobre sua experiência e currículo e que está a dois anos no comando da Administração do Parque. Desde a inauguração do novo pórtico de entrada do Pau da Fome em 2003 nada mais foi feito de reformas, o que acabou degradando ainda mais todas as construções. Aos poucos o Parque está voltando ao que era antes. Estamos na torcida para que as melhorias realmente aconteçam.

Palestra Dr. Pedro Ernesto
Dr. Pedro Ernesto do Museu Nacional prossegue relatando algumas curiosidades sobre AVIFAUNA do planeta e depois mais especificamente do Parque.
Vocês sabiam que existem cerca de 9.700 espécies diferentes de aves no planeta? Na América do Sul temos em média 2.000 espécies de aves e o Brasil concentra grande variedade destas espécies, em torno de 1.677 agrupadas em 86 famílias e 23 ordens. No Estado do Rio temos 690 variedades de espécies e no município temos 410.
Na América do Sul, podemos considerar que a Amazônia Peruana é a mais rica em biodiversidade, porém, devido ao grande número de madeireiras, mineradoras e empresas petrolíferas, as espécies tendem a entrar rapidamente em extinção.
E quantas espécies têm no Parque Estadual da Pedra Branca? No Parque temos 258 espécies agrupadas em 53 famílias e 19 ordens. Porém é complicado localizar todas, pois os fatores externos influenciam muito. Logo, o Parque abriga mais da metade da quantidade total de aves do município. Através destes dados, podemos ver a importância desde ecossistema para a cidade do Rio de Janeiro.
A Mata Atlântica é a quinta floresta mais ameaçada do mundo, porém é uma das mais ricas em espécies endêmicas do mundo. Endêmicas são espécies que só existem naquele local, ou região.  Uma queimada, por exemplo, pode extinguir rapidamente uma espécie endêmica. No PEPB, por exemplo, existem 27 espécies endêmicas e 23 ameaçadas de extinção.
Entre os problemas atuais que mais atingem a Mata Atlântica podemos citar a extração de madeiras; atividades agropecuárias, industriais e turísticas; urbanização; favelização; extrativismo; queimadas; poluição química (industrial), orgânica (lixos) e eletromagnética; introdução de espécies exóticas e domésticas; redução da pluviosidade devido ao aquecimento global do planeta; mudanças climáticas; perdas das comunidades polinizadoras, entre outras.
Dr. Pedro Ernesto continuou explicando sobre o seu trabalho de catalogar as aves que começou em 1992 e a escolha do PEPB dentre os três principais remanescentes da região metropolitana do Rio (Maciço da Pedra Branca, Maciço de Gericinó e Maciço da Tijuca).
As áreas de estudo compreendem as florestas do Pau da Fome, Camorim, Colônia Juliano Moreira, Vargem Grande, Bangu e Senador Camará.
Dentre as aves encontradas podemos citar (nomes populares):  Rendeira, Tangarás, Assanhadinho, Arapaçu-rajado, Choquinha-lisa, Sabiá-coleira (4 espécies no parque), Tiririzinho do mato, Tié do mato-grosso e Cuspidor de máscara preta.

Rendeira

Tangará

Tiririzinho do mato
Dentre as espécies endêmicas temos: Gavião pombo pequeno MA litorânea, Periquito-rico, Apuim de cauda vermelha MA, Papagaio-chauá MA, Beija-flor rajado, Beija-flor rabo branco miúdo e Beija-flor rubi, Barbudo rajado, Picapauzinho de testa pintada, Choquinha garganta pintada, Choquinha dorso vermelho, Trovoada, Trepador sobrancelha, Teque-teque, Saíra e Uru.

Beija-flor Rubi

Barbudo Rajado

Periquito Rico
Agradecemos ao Dr. Pedro Ernesto por realizar esse belíssimo trabalho no Parque.
O administrador do Parque Alexandre Pedroso prosseguiu detalhando um pouco mais sobre as melhorias que estão previstas e ações que a administração vem realizando nos 5 núcleos e a importância do encontro RIO + 20 (*).

Palestra Alexandre Pedroso
*Para melhorias na sede administrativa e núcleo de visitantes do Pau da Fome e na subsede do Piraquara foi aprovado um orçamento em torno de R$ 782.903,25;
* Cercamento de 2,5 km nas vertentes N/NO do Parque para impedir ocupações irregulares e desmatamentos, acima da cota 100. Serão adquiridos 12.000 moirões de concreto, arames liso e farpado, 50 placas de advertência, além de 3 viaturas pick-up – orçamento no valor de R$ 1.905.534,78;
* Projeto para mapear trilhas, manejo e melhorar os atrativos com expectativa de aumentar o número de visitantes – conscientizando-os, além de proporcionar uma infra-estrutura adequada. Prover os “Parques da Copa 2014” – projeto que visa incentivar passeios em áreas de preservação ambiental para a Copa de 2014 (a expectativa é de aumentar para 120.000 visitantes por ano – hoje o Parque recebe em média 10.000 visitantes por ano) – orçamento no valor de R$ 601.219,98;
* Falou-se também sobre o “Parque do Carbono” cujo projeto já está em andamento nas vertentes N/NO do Parque - 1.064 hectares do Parque serão beneficiados por esta compensação com o replantio de mudas de espécies nativas;
* Foram apresentadas as ações que a administração do Parque vem tomando a fim de conter as ocupações irregulares, demolindo casas e fechando pedreiras clandestinas;
* Projeto para serem eleitos novos integrantes para o Conselho Consultivo do Parque;
* Definição de áreas próprias para os visitantes tomarem banho no Parque;
* Elaboração do Guia de Trilhas do Parque Estadual da Pedra Branca com lançamento previsto para Maio de 2012;
* Montar um Meliponário no Parque, pois sabemos que as abelhas nativas são fundamentais para manutenção da Mata Atlântica (maiores informações no site: http://abelhasdobrasil.blogspot.com/);
Os participantes fizeram perguntas e participaram ativamente das palestras, o que tornou o encontro muito interessante e produtivo. Vamos torcer e cobrar para que todos estes projetos realmente aconteçam, afinal, esse é o nosso papel. Não adianta ficarmos de braços cruzados só reclamando.
Encontros como estes são importantes e devem acontecer com mais freqüência.
(*) Vinte anos depois da Rio 92, ambientalistas do mundo inteiro vão voltar ao Brasil para um novo encontro da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre meio ambiente, a Rio+20, entre 28 de maio e 6 junho de 2012.
A tarde o encontro prosseguiu com a palestra da AME-RIO (Associação de Meliponicultores do Estado do Rio de Janeiro) e com o Meliponiculor Christiano falando sobre as abelhas nativas, demonstração de caixa racional, como fazer uma bomba manual coletora de mel de abelha nativa e sem falar numa boa caminhada pela floresta para conhecer algumas abelhas nativas em seu habitat natural.
Maiores detalhes no site: http://abelhasdobrasil.blogspot.com/
Caixa de Abelha Iraí



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Evento Comemoração Semana do Dia da Árvore

Convidamos todos os AMIGOS do PARQUE para participar do evento que acontece neste sábado no núcleo Pau da Fome, em comemoração ao Dia da Árvore (21 de Setembro).

Segue o convite e programação.

Contamos com a participação de todos!


domingo, 11 de setembro de 2011

Bicho Preguiça

Postamos relato do amigo Meliponicultor Christiano Figueira, que registrou a passagem de um bicho preguiça pelo Parque.


"Olá meus amigos do PEPB.

Cada vez que vou ao parque me surpreendo com a natureza, hoje foi um dia muito bonito de céu azul e um pouco quente, larguei mais cedo do trabalho e aproveitei para ir ao parque levar o marceneiro Dario, para ele ver a estrutura do centro de visitantes para fazer uma caixa de madeira igualzinha ao prédio, para que no dia 24/09 possamos passar a abelha mandaçaia definitivamente para está caixa, logo que cheguei ao lado do centro de visitantes avistei uma jibóia de um tamanho considerável e consegui fazer um pequeno vídeo da movimentação da jibóia pena que o Biólogo Leonardo esta fazendo uma atividade no parque e não deu para falar com ele, logo depois fui conferir algumas iscas e para minha felicidade mais duas iscas enxameadas, agora já são quatro iscas, duas jataís, uma mirim e uma iraí. Mas para minha surpresa consegui avistar um bicho preguiça, pois foi à primeira fez que vejo o bicho preguiça em seu habitat natural, as outras vezes foi no zoológico e na geladeira do Parque. Desde já agradeço a todos do PEPB pelo apoio, carinho e consideração."

Abraço a todos.


--
Christiano Figueira
Meliponicultor
Mantenedor da Fauna Silvestre
Reg. Ibama nº: 5066808 http://abelhasdobrasil.blogspot.com


video

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Mutirão Praia do Perigoso e Praia dos Buzios

Fonte: Site SOS Trilhas

Ao invés de realizarmos o mutirão na Praia do Meio como estava programado achamos melhor ir para a Praia do Perigoso e Praia dos Búzios por questões operacionais.

O objetivo desse mutirão é a coleta e retirada de todo o lixo existente nas duas praias e a conscientização dos frequentadores através da colocação de  placas educativas que foram doadas pelo Grupo TerraLimpa para as atividades nas Praias Selvagens. 
                      
          Mais uma vez contamos com a colaboração de vocês!

          O Ponto de Encontro será no estacionamento externo do Prezunic Recreio - Av. das Américas, 16.100 e 16.300, às 8:50. (Ver mapa na guia lateral direita deste blog.)
          OBS.: A chegada ao ponto de encontro no horário marcado é importante para que o grupo possa fazer a trilha até a praia num ritmo agradável a todos (a caminhada dura cerca de 1 hora e 30 minutos), para o bom rendimento da atividade e também para que, além do trabalho, possamos curtir o local.

           Aqueles que desejarem se juntar a nós, neste mutirão, devem:

. Confirmar presença através de comentário nesta matéria, ou e-mail sos.trilhas@gmail.com, ou na comunidade Trilhas Quase Secretas. (As confirmações nos ajudam a organizar questões de ordem prática, como a divisão de caronas solidárias);

. Trajar roupas leves (bermudas ou calças que permitam liberdade de movimento, camiseta, etc...) e tênis/bota confortável (preferencialmente com solado anti-derrapante);

.  Levar ao menos 2 litros de água, suco ou isotônico;

. Levar lanche (barras de cereal, biscoitos, frutas...). A Fondant Patisserie, mais uma vez, doará quitutes para deixar nossos lanches mais gostosos;

. Levar roupa de banho, toalha e/ou canga, roupa reserva, boné, óculos de sol, repelente e protetor solar.

          Antes do início da atividade haverá a distribuição de material para a coleta (luvas e sacos de lixo). As luvas serão recolhidas ao final do dia, para que sejam higienizadas e reutilizadas em outros mutirões,  mas aqueles que já tiverem as suas, e preferirem, podem levá-las.

Este evento conta com o apoio de:

Fondant Pâtisserie - produtos para reforçar para o lanche dos voluntários;
Rio Eco Consciente - divulgação, participação e brindes para sorteio;
Destemidos - divulgação e participação no mutirão;

Grupo Terra Limpa - placas educativas e divulgação;





terça-feira, 30 de agosto de 2011

Incêndio atinge PEPB, em Realengo

RIO - Um incêndio atinge cerca de 300 metros quadradas da Serra do Barata, na Parque da Pedra Branca, em Realengo. Segundo os Bombeiros do quartel de Realengo, dez homens da unidade trabalham no combate ao fogo, que afeta mata rasteira e não atinge árvores ou a região reflorestada da reserva. Nenhuma pessoa se feriu. A hipótese mais provável é que o incêndio tenha sido criminoso.

Um incêndio também atinge o Morro do Rangel, no Recreio dos Bandeirantes. No fim da madrugada desta terça-feira, as chamas voltaram a atingir o local. Entre o fim da noite desta segunda-feira e 3h da manhã, bombeiros do Grupamento de Busca e Salvamento da Barra da Tijuca já haviam estado no Morro do Rangel e apagado um incêndio.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/08/30/incendio-atinge-parque-da-pedra-branca-em-realengo-925248118.asp#ixzz1XZOrGmQO
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

domingo, 28 de agosto de 2011

Novo Site

Amigos,

É com grande satisfação que apresento o novo site do grupo Amigos da Pedra Branca. Criei com muito carinho e dedicação este site em 2003 e desde então não havíamos mudado o formato do mesmo. Em formato de blog, o site ficou mais dinâmico e prático. Não podemos desperdiçar o que a tecnologia nos oferece gratuitamente.

Desta maneira poderemos interagir com mais frequência.

Boa leitura!

Abs
Carla Scott

domingo, 10 de julho de 2011

Mutirão da Praia Funda

Amigos do Parque Pedra Branca participam do mutirão ecológico na Praia Funda.

O mutirão, organizado no dia 10 de Julho pelos grupos SOS Trilhas, Trilhas Quase Secretas e Destemidos, levou um grupo de 35 voluntários à Praia Funda, uma das 5 praias que margeiam o maciço da Pedra Branca localizadas entre Grumari e Guaratiba.



Chegada a Praia de Grumari

O grupo caminhou pela mata durante uma hora e meia observando a paisagem deslumbrante, mas ainda havia muito trabalho pela frente e o grupo estava animado e com um único objetivo: Deixar a praia limpa!

Apresentação do grupo e Instruções

Ivan do Grupo TerraLimpa


Carla (Amigos do PEPB) entre Fabio, Stella e Grazi (TQS) e Sandra (TerraLimpa)

Caminhando em direção a trilha
Infelizmente observamos o quanto os frequentadores destas praias não possuem o mínimo cuidado com o ecossistema local e nenhuma consciência ecológica.

O grupo já havia realizado um mutirão em maio e passado dois meses, a quantidade de lixo era assustadora. Durante 1 hora e meia recolhemos lixo suficiente para encher 40 sacos de lixo! Ainda havia mais, principalmente muitas garrafas de vidro que tivemos que deixar, pois não conseguiríamos carregar de volta na trilha, somente com a ajuda de um barco.


Foto: Site SOS Trilhas

Foto: Site SOS Trilhas



Muito lixo
Ao final do mutirão, o grupo ainda conseguiu se refrescar tomando um banho de mar e curtindo o que de melhor a natureza tem a oferecer. Porém, o sol já estava se pondo e era hora de voltar e carregar o lixo, antes do anoitecer.

Visual deslumbrante

Placas a serem afixiadas na trilha

Parada para descanso e para o lanche

Sorteio dos brindes
O grupo ainda participou de um sorteio de brindes patrocinados pela PROATIVA e lanches cedidos pela Fondant Patisserie.

Durante o trajeto foram afixadas placas nas trilhas orientando o visitante a preservar o local. As placas foram cedidas pelo grupo TerraLimpa.


Placas orientando os visitantes

O Mutirão ainda contou com o auxilio da ONG Patrulha Ambiental - Instituição Civil sem fins lucrativos, sócio-ambientalista localizada no Anil - Jacarepaguá (Estrada do Quitite 383 - email: brigadapambiental@ig.com.br).

O Site Amigos do Parque parabeniza o Site SOS Trilhas por mais esta iniciativa e poderá contar sempre com o nosso apoio e divulgação.







Tarefa cumprida - Lixo no LIXO






sexta-feira, 1 de julho de 2011

Dicas para caminhadas

Nutrição

As principais fontes de energia do corpo humano são as gorduras e os carboidratos, sendo que os carboidratos se prestam melhor a esse tipo de atividade, pois são mais leves e de melhor digestão, salvo algumas exceções.
Os alimentos a base de amido (pão integral, cereais, legumes, frutas leves, queijo magro, aveia), são excelentes fontes nutricionais para serem ingeridos de véspera, já que suas partículas vão se partindo e acontece, aos poucos, a liberação da glicose e da frutose.
Dentre os bons alimentos repositores de energia durante as caminhadas estão às barras energéticas de cereais, como por exemplo, o Nutry - produto comercializado pelos supermercados em geral -, as barras de chocolate amargo, banana, que possui muito potássio, granola ,etc.
Importantíssimo, também, é a manutenção da hidratação do corpo, visto que, principalmente nos meses quentes do nosso verão, estamos sujeitos a perda de líquidos devido ao suor. Recomendo o uso de água natural, água de coco, suco de frutas e bebidas isotônicas (gatorade, etc ), principalmente se o trekking for em locais descampados, onde o sol costuma castigar.
Ao suarmos, o corpo libera, também, sais minerais, o que provoca a exaustão e o cansaço prematuro do corpo. Para que haja a reposição é recomendável que se ingira fontes repositoras, como por exemplo, castanha de caju, azeitonas, passas, queijo minas. Atualmente, existem em algumas farmácias invólucros repositores de sais minerais, próprios para esse tipo de atividade.
Uma boa dica é tentar saber com o guia se existirá alguma fonte de água potável durante o caminho, onde se poderá reabastecer, evitando assim levar muito peso desnecessariamente.

Equipamentos
  • Calçado
    Ítem dos mais importantes para a sua segurança deve ser escolhido criteriosamente, de acordo com o tipo de terreno que se irá deparar: se íngreme ou plano, se com obstáculos, se em terreno molhado, etc.
    As botas são as mais recomendadas. Devem ter preferência às de cano alto, para evitar eventuais torções de tornozelo e em couro, por serem impermeáveis. Procure sempre comprar um tamanho superior a seu pé, já que isso o ajudará muito nas descidas íngremes, onde os dedos fazem atrito com a ponta do calçado, provocando grande desconforto. Seu solado deverá ser o mais largo possível, para dar estabilidade ao corpo e ter protuberâncias bem grandes para permitir a perfeita aderência ao solo.
    Para longas caminhadas, prefira os calçados mais macios, tipo tênis, mas sempre com o solado como descrito acima e feito de tecido acolchoado e sintético. Use palmilha trançada por baixo e calcanheira, oque lhe garantirá grande conforto. Costumo usar, também, 2 meias, uma fina por baixo e outra um pouco mais grossa por cima. Nessas condições, se evitam as bolhas e o bem estar é certo.
  • Mochila
    Outro ítem muito importante, sua escolha deverá ser decidida de acordo com o tempo gasto na caminhada.
    Prefira sempre mochilas com as seguintes características: Com alças o mais largas e acolchoadas possível, para ajudar a aliviar o peso: suas costas vão adorar. Com tiras na cintura, para manter o equilíbrio em terrenos acidentados e aliviar o peso nos ombros. Com fibras impermeáveis, para proteger sua maquina fotográfica e alimentos.Mas não confie muito: tenha sempre alguns sacos plásticos a mão, para proteger os objetos mais delicados.
    É sempre bom que tenha vários compartimentos externos, com zíper, de modo a acondicionar objetos de uso imediato, tais como água, máquinas fotográficas, lanternas, canivetes etc.
    Sempre tenha em mente de não exceder em mais de 10% do seu peso e procure comprar mochilas que tenham material de fácil dissipação de calor na parte que fica em contato com o corpo
Roupas
  • Calças
    Dependendo da trilha, procure usar calças compridas, que são eficazes contra o frio, o vento e os mosquitos e protegem as pernas contra arranhões e espinhos, principalmente em trilhas à beira mar, cuja vegetação é mais "dura" . Para liberdade de movimentos, use-as bem folgadas. Os tecidos ideais são suplex e tactel, que são bem mais leves e secam com extrema facilidade. Para trilhas descampadas, use shorts ou bermudas, do mesmo material.
  • Camisas
    As ideais são as T-shirts em algodão, bem folgadas, evitando-se usar as de malha, por provocarem muito atrito com o corpo suado. As de cores claras são mais frescas e não concentram muito o calor do sol. Importante é sempre ter de reserva uma muda de roupa, caso haja necessidade.
  • Agasalho
    Ítem da maior importância. Nunca o esqueça. Prefira os de material sintético, com zíper, que são mais leves e ocupam menos espaço; com amarras para os punhos e abdomen de maneira a que evitem que o vento frio entre e circule sobre o corpo. Escolha os impermeáveis, com capuz para proteção contra chuvas. Evitem os de plástico, por não dissiparem o suor, provocando mal estar.
Outros Equipamentos
  • Lanterna
    procure não exagerar no tamanho. As de alumínio, com ajuste de foco são as melhores. É sempre bom contar com o imprevisto de der de retornar à noite. Não esqueça de verificar o estado das pilhas ...
  • Boné
    com pala rígida, para a proteção da cabeça e dos olhos contra os galhos e demais obstáculos na trilha. Para o sol, são muito bons os chapéus de pano leve e aba arredondada em toda a volta, para a proteção dos raios solares que incidem no rosto e na parte traseira do pescoço, principalmente porque, em dias ensolarados, quando se olha muito para baixo, o pescoço costuma ficar irritado.
  • Facão
    Utilíssimo para uso nas trilhas mais fechadas e pouco transitadas, onde há a necessidade de desobstrução do caminho. Um bom tamanho seria de cerca de 30 / 40 cm.
  • Canivete
    Nunca use os do tipo suíços, muito pesados. Procure utilizar o mais simples possível, que contenha pelo menos uma lâmina e um extrator de espinhos, muito útil em certas ocasiões ...
  • Toalhas
    Sempre levo uma pequena, indispensável para quem costuma transpirar muito, além de várias outras utilidades.
  • Papel higiênico
    Apesar de tudo o que foi exposto no ítem Nutrição poderá haver dias em que seu organismo não esteja muito satisfeito ...
  • Máquina fotográfica
    Para registro dos momentos agradáveis que você certamente terá na floresta.
Medicamentos
  • Repelente
    Na mata, os períodos da manhã e final da tarde são os mais propícios à incidência de mosquitos e pernilongos e, para aqueles que têm muita sensibilidade, seu uso é imperativo. Se a caminhada for curta, basta passar antes de sair e deixar o frasco em casa, para não sobrecarregar a mochila.
  • Filtro solar
    Mesmo usando chapéu é necessário que as pessoas de pele muito clara o tenham disponível, pois sempre acabam se queimando no rosto e nos braços.
  • Leve também
    Esparadrapo para prevenção de calos e bolhas, se os pés começarem a incomodar; band-aid para pequenos curativos; mertiolate ; água oxigenada para desinfecção; algodão para a limpeza e, finalmente, algum analgésico, para traumatismos em geral, dores musculares e entorses. Procure acondicionar tudo em pequenas quantidades, para não pesar muito.

Demais trilhas

Travessia Araçatiba – Piábas
   

Barra de Guaratiba – Araçatiba Recreio dos Bandeirantes – Piabas Principais acessos: Estrada da Barra de Guaratiba e Caminho de Piabas.
Caminhada leve, cruzando o Maciço da Pedra Branca na sua ramificação sul, interligando as baixadas de Jacarepaguá e Sepetiba. Parte da Trilha encontra-se em área militar, sendo necessária autorização.

Morro do Cabuçu

   
Campo Grande – Caboclos Principais acessos: Estrada dos Caboclos, Cidade Batista e trilha de acesso ao Morro Cabuçu.
Caminhada média até a cota de 568m, com extensão aproximada de 1 km, de onde se tem um visual de parte da Zona Oeste do Rio.


Travessia Rio da Prata – Ilha de Guaratiba


Campo Grande (Rio da Prata) – Ilha de Guaratiba - Principais acessos: Praça Mário Valadares; Estrada do Cabuçu; Caminho do Morro dos Caboclos; Caminho do Cedro; Caminho do Circuito dos Caboclos; Caminho da Toca Grande; Caminho do Morgado; Ilha de Guaratiba.
Caminhada longa, atravessando o setor oeste do Maciço da Pedra Branca e com ampla visão da Baía de Sepetiba, Restinga da Marambaia, Vargem Grande, Recreio e parte da Barra da Tijuca, com extensão aproximada de 8 km e altura máxima de 600m. Entre os atrativos temos riachos, nascentes, trilhas e mirantes naturais.

Morro dos Caboclos

Campo Grande - Rio da Prata Principais acessos: Praça Mário Valadares; Caminho do Morro dos Caboclos; Caminho do Cedro; Caminho do Circuito dos Caboclos.
Caminhada com amplo visual da baixada de Sepetiba, Restinga da Marambaia e Serra do Mar, com extensão de 5 km e altura de 688m. Entre os atrativos temos riachos, nascentes, trilhas e mirantes naturais.

Travessia Ilha de Guaratiba – Vargem Grande



Ilha de Guaratiba – Vargem Grande (Jacarepaguá) Principais acessos: Estrada do Morgado; Caminho do Morgado, Estrada da Cachoeira; Estrada dos Bandeirantes.
Caminhada leve, cruzando a ramificação sul do Maciço da Pedra Branca, interligando a Baixada de Sepetiba à Baixada de Jacarepaguá, com aproximadamente 8 km de extensão e altura máxima de 600 m. Atrativos Naturais: riachos, estradinhas de terra, trilhas e mirantes.

Pedra do Carvalho


Campo Grande – Rio da Prata Principais acessos: Praça Amaro Valadares; Estrada da Batalha; Caminho do Sacarrão; Caminho do Padre.
Caminhada média com privilegiado panorama de parte do Maciço, com extensão aproximada de 3 km e altura máxima de 600 m. Atrativos naturais: riachos, trilhas e mirantes naturais.
  
Travessia Rio da Prata – Vargem Grande


Campo Grande – Rio da Prata Jacarepaguá – Vargem Grande Principais acessos: Praça Mario Valadares; Estrada da Batalha; Caminho da Furna; Caminho do Monteiro; Caminho do Jequitibá; Serra do Rio da Prata; Caminho do Cafundá; Estrada Macuiba.
Caminhadas por entre vales e serras do Parque Estadual da Pedra Branca sempre com vistas belíssimas. Na descida, uma vista panorâmica da orla do Recreio dos Bandeirantes e Barra da Tijuca. São aproximadamente 8 km de extensão e altura máxima de 600 m. Atrativos naturais: riachos, cachoeiras, trilhas, abrigos de pedra, jequitibás e mirantes naturais.

Vale da Virgem Maria



Campo Grande – Rio da Prata Principais acessos: Praça Mário Valadares; Estrada da Batalha; Caminho do Sacarrão, Caminho da Virgem Maria.
Caminhada leve por entre vales no interior do Maciço da Pedra Branca, com aproximadamente 3,5 km de extensão e altura máxima de 500 m. Atrativos naturais: riachos, trilhas, nascentes d’água e mirantes naturais.


Vale da Caixa D’Água (Rio da Prata)



Campo Grande – Rio da Prata Principais acessos: Praça Mário Valadares; Rua Soldado Antonio da Silveira; Caminho do Vaivém; Caminho da Caixa D’Água.
Caminhada leve por entre vales, seguindo o curso do Rio da Prata do Cabuçu, passando por pequenas quedas d’água e piscinas naturais, com 3,5 km aproximadamente e com altura máxima de 375 m. Atrativos naturais: trilhas, nascentes e mirantes.

Travessia Rio da Prata - Pedra do Ponto (Via Barata)



Campo Grande – Rio da Prata Realengo – Barata Principais acessos: Praça Mario Valadares, Estrada da Batalha, Caminho do Sacarrão, Caminho da Virgem Maria, Caminho do Rosário.
Caminhada pesada e longa, com belíssima vista panorâmica de todo o Município do Rio de Janeiro, com extensão aproximada de 6 km e altura máxima de 938 m. Atrativos naturais: riachos, nascentes d’água, trilhas e mirantes naturais.

Travessia Rio da Prata – Pau da Fome (Via Monte Alegre)



Campo Grande – Rio da Prata Principais acessos: Praça Mário Valadares; Estrada da Batalha; Caminho do Sacarrão; Caminho da Virgem Maria; Caminho do Monte Alegre e Pórtico da Pedra Branca.
Caminhada média e longa, cruzando o Maciço da Pedra Branca por entre vales, com aproximadamente 11km de extensão e altura máxima de 800m. Atrativos naturais: riachos, trilhas e mirantes naturais.


Travessia Rio da Prata – Pau da Fome (Via Casa Amarela)



Campo Grande – Rio da Prata Principais acessos: Caminho da Pedra Branca; Caminho Herve Muniz; Caminho Santa Bárbara; Pórtico da Floresta da Pedra Branca.
Caminhada média e longa, cruzando o Maciço da Pedra Branca por entre vales, com aproximadamente 11 km de extensão e altura máxima de 800 m. Atrativos naturais: riachos, cachoeiras, trilhas, abrigos de pedra e mirantes naturais.