O Parque Estadual da Pedra Branca é considerado a maior reserva florestal em área urbana no mundo. Compreende um total de 12.500 hectares, onde se destaca o Pico da Pedra Branca, ponto culminante da Cidade com 1024 metros de altitude. SITE NÃO OFICIAL.
"Quero poder deixar esse mundo melhor do que encontrei..."



sexta-feira, 1 de julho de 2011

Trilha de Santa Bárbara (ou Trilha da Casa Amarela) e Pico da Pedra Branca

O nome Santa Bárbara é devido a protetora dos ventos, trovões e tempestades, tradicionalmente conhecida por devoção a santa. A trilha de Santa Bárbara é um caminho que corta o vale do Rio Grande, até o seu divisor de águas (garganta da Casa Amarela a 643 metros), entre o Pico da Pedra Branca (1025 metros) e o Morro de Santa Bárbara (857 metros). É interligado a uma rede de trilhas do Maciço da Pedra Branca, utilizado desde o século XIX por colonizadores de terras, servindo aos engenhos e fazendas da região. A Casa Amarela sede do antigo Sítio de Santa Bárbara, construída pelo agricultor Domingos Letra - ocupação modesta de estilo colonial, datada do início da década de 20, representa hoje um importante atrativo cultural situado no interior do Parque. A Trilha de Santa Bárbara até o final de seu trajeto é a mais percorrida do parque, contudo a Trilha da Pedra Branca tem sido bastante procurada, perdendo apenas em preferência para a trilha do Açude do Camorim.


Trilha da Casa Amarela

   Para chegar até lá é preciso andar cerca de três quilômetros por um caminho que tem dois séculos e que servia para transportar café, lenha entre outras mercadorias. Portanto, preparo físico e disposição são fundamentais para se enfrentar vários trechos íngremes. No passado, o acesso a Santa Bárbara surgiu para substituir o caminho rural da pedra branca, antiga trilha de tropeiros, que ligava Jacarepaguá as fazendas da zona rural de Campo Grande, passando o trajeto pela garganta, hoje denominada Casa Amarela.


Aqueduto

   A caminhada que deve ser marcada com antecedência começa na sede do Parque que fica no final da Estrada do Pau da Fome. Poucos metros depois aparece o aqueduto da Cedae, marco da engenharia hidráulica inglesa no Brasil que levava água para os engenhos e pequenas comunidades da região do Vale do Rio Grande no século XIX. A trilha pela mata fechada começa mesmo a 500 metros da sede da Pedra Branca depois de atravessar o Rio Grande. Durante o caminho é possível ouvir sons de animais como tucanos, maritacas, cigarras, esquilos. Além do ruído das águas dos rios. Outro atrativo é o jequitibá que é facilmente encontrado. A primeira parada oficial da trilha é no Rio da Pedra Branca, 40 minutos depois de iniciada a caminhada. Quem quiser pode beber a água do rio e até encher as garrafas, afinal ainda terão que enfrentar mais uma hora de subida. A segunda parada é numa clareira, a 10 minutos do rio.


Grupo na Casa Amarela
 

O grupo e "Seu Pandi"
   Simples e pequena a Casa Amarela abrigou durante anos o único morador do lugar, o antigo caseiro do Sítio, Valdemar Nunes Pereira, o “seu” Pandi. Seu Pandi chegava a ficar um mês sem ver ninguém, providenciava um cavalo para chegar ao Rio da Prata, que levava três horas. Atualmente seu Pandi já deve ter quase 80 anos e, de acordo com informações, não habita mais o local. Após a chegada a Casa Amarela, retorne pela mesma trilha curtindo a natureza. Caso os aventureiros queiram prosseguir, esta mesma trilha levará ao Pico da Pedra Branca – ponto culminante do Município do Rio, a 1025 metros de altura, porém são mais algumas horas de caminhada e mais 382 metros de subida.

Vista da Pedra Branca
   O Maciço da Pedra Branca começa na Praia dos Búzios, em Barra de Guaratiba, e vai até Sulacap, passando por densas florestas de Vargem Grande, Camorim, Jacarepaguá, e áreas agrícolas do Rio da Prata, em Campo Grande. Vários pontos da cidade são abastecidos por alguns dos 12 mananciais do parque.

Vista do Ponto Culminante do Município - o Pico da Pedra Branca
  
Dados Técnicos:


Esboço Trilha de Santa Bárbara



1) Nível: Simples. Percurso com caminhada leve superior;
2) Grau de Orientação: Médio. Exige atenção e alguma experiência, risco moderado de se perder;
3) Atrações: Rios, Mirante, Flora e atrativo turístico natural;
4) Duração: 04 horas (ida e volta);
5) Extensão: 3,5 km (percurso);
6) Altitude Máxima: 643 metros;
7) Característica: Trilha de Ecoturismo e interpretativa aos visitantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário