O Parque Estadual da Pedra Branca é considerado a maior reserva florestal em área urbana no mundo. Compreende um total de 12.500 hectares, onde se destaca o Pico da Pedra Branca, ponto culminante da Cidade com 1024 metros de altitude. SITE NÃO OFICIAL.
"Quero poder deixar esse mundo melhor do que encontrei..."



sábado, 9 de abril de 2016

Conselho Consultivo do PEPB cria a Câmaras Temáticas



Com o intuito de somar e debater ideias, o Conselho Consultivo do Parque Estadual da Pedra Branca foi criado pela Portaria IEF/RJ/PR/N°269, de 17 de dezembro de 2008. O objetivo principal dos Conselhos de Unidades de Conservação (UC) é reunir além de órgãos públicos, instituições de pesquisa e entidades da sociedade civil interessadas em participar da gestão das mesmas.
Segundo o INEA, os Conselhos Consultivos são espaços de diálogos compostos por diferentes atores sociais e o órgão ambiental estadual. Participam do Conselho Consultivo do Parque Estadual da Pedra Branca (ConPEPB) moradores de comunidades localizadas no parque e entorno, membros de organizações públicas e privadas, membros instituições de pesquisa, produtoras e produtores agrícolas, estudantes e convidados. Nas reuniões do Conselho, todos podem expor suas ideias e debater temas relacionados com a gestão do parque, desde instrumentos de conservação da biodiversidade até o orçamento de obras públicas.
            Para organizar e facilitar o diálogo entre os diversos assuntos que precisam ser tratados nas reuniões periódicas do Conselho, a atual equipe que auxilia o desenvolvimento do ConPEPB, em conjunto com os Conselheiros, definiu a criação de 4 Câmaras Temáticas (CTs), considerando os temas prioritários para a gestão do parque: de Uso Público, de Comunicação, de Agroecologia e Comunidades Tradicionais e de Gestão de Riscos e Desastres. As CTs são um outro tipo de canal de participação social dentro do ConPEPB e cada uma delas possui um coordenador e um relator, responsáveis por agendar e convocar as reuniões e elaborar as atas..
            O trabalho destas CTs facilita diálogo direto com membros dos setores de governo e da sociedade civil na condução de temas específicos, e facilita o tratamento de conflitos relacionados com a UC, amadurecendo questões que, quando chegam ao Conselho, são apresentadas e encaminhadas de modo mais ágil.
            No âmbito da CT de Comunicação, ocorreram dois encontros onde os membros definiram os principais objetivos da CT:
· Fazer a interface entre todas as CTs publicizando as informações debatidas entre todos os conselheiros;
· Criar ou aprimorar uma ferramenta para a comunicação entre a gerência do INEA e o ConPEPB;
· Criar e alimentar meios de comunicação com as comunidades de dentro e do entorno do parque
 
            As reuniões periódicas do Conselho são abertas ao público e todos os interessados podem participar, porém, para ser membro do Conselho, é necessário passar por um processo de inclusão. Para maiores informações, entre em contato com o PEPB: (21) 3347-1786. E-mail: pepb.social@gmail.com

CT de Comunicação do PEPB
 



 

Um comentário:

  1. Sou moradora do Camorim há 30 anos e essa é a primeira vez que entrei nesta mídia e que tomei conhecimento deste Conselho. E do Nucleo Camorim.Notei que essas mídias estão sem uma atualização que o Blog está sem atualização ha alguns anos. Interessei-me pelo assunto e gostaria de passar pelo processo de inclusão para ajudar na Câmera Temática de Comunicação. Então minhas perguntas são: Este Conselho da PEPB ainda está em funcionamento? Quem é o Coordenador da Câmera Temática de Comunicação? Quais são os dias das reuniões periódicas do mês de Maio ( se ainda houver) ou de Junho/2017? Gostaria de participar como moradora do entorno do Parque, ainda possível? Meu objetivo é contribuir para a melgoria da nossa regiao. Valorizando os pobtos turisticis e trazer beneficio aos moradores e a nossa natureza cuidando da flora e fauba de nosso Parque Estadual Pedra Branca. E parabenizo desde ja esta iniciativa da fundacao do ConPEPB. Vamos juntos fazer tudo funcionar e trazer benefícios ao NOSSO Bairro e tentarmos junto ao INEA reavivar a nossa Cachoeira ate o início da Estrada do Camorim, como era ha 30 anos, quando caminhava ate a igrejinha e escutava o barulho das aguas. Agradeço o Contato por e-mail. Jornalistaveravidal@gmail.com

    ResponderExcluir